8 de abril de 2013

Luís Eduardo Magalhães é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população é de 44.265 habitantes (IBGE/ 2007), PIB de 1.003.460 e PIB per capita de 45.445.

O município de Luís Eduardo Magalhães era antes um pequeno povoado denominado Mimoso do Oeste, que passou em 03/12/1987 a ser distrito de Barreiras, através da Lei n° 395/1997, em 17/11/1998, passou a denominação atual após referendo, quando conquistou a sua autonomia administrativa.

Localização Geográfica




































Luís Eduardo Magalhães - Bahia
Luís Eduardo Magalhães é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população é de 44.265 habitantes (IBGE/ 2007), PIB de 1.003.460 e PIB per capita de 45.445.

O município de Luís Eduardo Magalhães era antes um pequeno povoado denominado Mimoso do Oeste, que passou em 03/12/1987 a ser distrito de Barreiras, através da Lei n° 395/1997, em 17/11/1998, passou a denominação atual após referendo, quando conquistou a sua autonomia administrativa.

A cultura da soja é introduzida de forma acelerada e novos cultivos são testados, diversificando-se a base produtiva agrícola e unidades industriais são atraídas para a região. Em conseqüência, consolida-se um espaço dos mais promissores do Nordeste, com uma agricultura tecnificada, operada em moldes empresariais e com integração às cadeias agroindustriais. O Oeste da Bahia passa a ser o mais importante espaço nordestino receptor de imigrantes, onde os nativos passam a conviver com uma cultura mais característica dos estados do sul do Brasil. Os vales, antes caracterizados pela pequena exploração agrícola familiar em minifúndios, começam a serem identificados como áreas bastante promissoras para o cultivo de frutas. Esta nova dinâmica possibilitou as potencialidades, em sua grande parte ainda inexploradas, e expôs a região a crises características dos períodos iniciais das áreas e expansão de fronteira econômica.

Atualmente a região conta com incremento e diversificação de atividades, tais como: ampliação da pecuária, ovinocultura, caprinocultura, fruticultura, cafeicultura irrigada e o surpreendente crescimento rápido da cultura do algodão com aumento sucessivo das áreas plantadas, da produção e da produtividade. A ocupação econômica do Oeste está incorporando a variável ambiental, está determinado a ter um controle efetivo por parte de seus agentes mas a preocupação no desenvolvimento sustentável hoje é extremamente presente, visto que na região existem órgãos estaduais, federais e ONGS que estão atuando diretamente e constantemente na preservação dos recursos naturais tais como: Superintendências de Recursos Hídricos – SRH; Departamento de Defesa Florestal – DDF; Centro de Recursos Ambientais – CRA, IBAMA entre outros.

O município possui grandes áreas inexploradas, próprias para agricultara e pecuária. O I.A.C. Instituto Agronômico de Campinas, em convênio com órgãos públicos e privados, vem pesquisando variedades diversas de cana de açúcar com o objetivo de encontrar a mais produtiva e que melhor se adapta na região, para a implantação de um complexo sucro-alcoleiro no município.

Existe na região grande possibilidade turísticas, pois estamos em área de manancial e grandes nascentes, que se transformam em rios caudalosos e de água totalmente transparentes. Em município vizinho é possivel encontrar grutas com maravilhos lagos subterrâneos de águas azuis.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Você no Blog Nordestinos Paulistanos
jornalista cidadão.
Envie textos
fotos,
vídeos
Cultura,história da cidade,causos,linguajar,poesia,cordéis e muito mais.

TV Nordestinos Paulistanos

Mais Acessadas