25 de junho de 2012

Situada na parte setentrional do estado piauiense, a cidade-sede do município de Castelo do Piauí nasceu em 27 de novembro de 1742 como um pequeno aglomerado de casas erguidas na região de caatinga. Seu nome primitivo era Marvão, sendo a denominação atual, adotada em 08 de outubro de 1948, inspirada em uma gruta que se assemelha aos castelos medievais.

Segundo o Censo de 2010, do IBGE, na época a população do município era de 18.336 habitantes, composta por 8.982 homens e 9.354 mulheres. Deles, 5.399 moravam na zona urbana e 3.583 na zona rural, enquanto que para as mulheres essa relação era de 6.080 e 3.274, respectivamente. Interessante observar que o número de moradores em Castelo do Piauí diminuiu com o passar do tempo: eles eram 28.744 em 1991, mas dez anos depois (2010) passaram a ser 18.336.

O principal atrativo turístico municipal e a Pedra do Castelo (na ilustração acima), gruta que se assemelha a um castelo medieval e que, por isso mesmo, inspirou o nome dado à cidade. A lenda sobre esse lugar conta que há muito, muito tempo, existia ali um castelo de verdade. Construções desse tipo supriam não só as necessidades de moradia dos encastelados (como higiene, saneamento, água lima e cozinhas), mas também as de defesa (fundamentais quando alguma delas estivesse sendo atacada).

Várias estruturas compunham esse sistema. O fosso, por exemplo, dependia do terreno, e por isso nem todos os castelos o tinham. Essa primeira linha de defesa consistia em um grande dique ou trincheira ao redor do muro externo, e poderia ser cheio de água ou seco (nesse caso forrado com estacas pontiagudas de madeira). Normalmente havia uma ponte levadiça que permanecia erguida quando o castelo estivesse sob ataque. Quanto aos muros de proteção, eles eram dois: externo e interno. Alguns castelos tinham o muro externo, ou parede-escudo, muito mais alto, normalmente construído na parte mais vulnerável às armas de ataque como catapultas e torres de cerco, servindo também como proteção contra ataques de objetos que eram lançados sobre os muros e atravessavam a defesa. E outras mais.

Sobre esse lugar específico uma antiga lenda chegou aos nossos dias. Diz ela que em tempos passados morava ali um rei perverso e depravado que incluía entre suas diversões prediletas o hábito de realizar orgias sexuais e bacanais com seus súditos. Por isso, sempre que desejava divertir-se em um desses festins licenciosos ele mandava seus soldados procurarem no reino as moças de rosto e corpo mais belos, e também rapazes fortes e bonitos. Eles e elas deveriam ser levados ao castelo para participarem das “festas” planejadas pelo soberano. E depois que isso acontecia, todos eram assassinados e enterrados ali mesmo.

E assim foi indo até que Deus resolveu castigá-lo, e para tanto mandou dois anjos descerem à Terra com a missão de colocar ponto final naquele desregramento de costumes. Os dois entes espirituais adquiriram então a forma humana, desceram ao reino do monarca e logo foram levados para mais uma noite de prazeres do rei. No castelo os dois assistiram a tudo, mas na hora dos assassinatos eles transformaram em pedra o monarca, seu castelo, e tudo mais que nele se encontrava. Dizem que até hoje, nas noites de lua cheia, ouve-se a melodia dos violinos e vê-se o reflexo das velas que iluminavam o castelo. Que encantado como se encontra, recupera vida com a luz da lua.

Vista de longe, a Pedra do Castelo tem a aparência é de um castelo abandonado, com suas muralhas que teimam em se manter de pé. Mas quando vista de perto, imensos portões em forma de arco parecem surgir do nada, dando acesso a diversos salões onde morcegos e animais fazem as suas moradas. Em um deles existe um cemitério de crianças, com várias cruzes espalhadas pelo chão. Em outro, um oratório com a imagem de uma santa que, segundo voz geral, ninguém sabe dizer como apareceu por lá. Na verdade, a Pedra aparenta ser um monumento sagrado iluminado pó velas, onde todos os anos milhares de fiéis cumprem suas penitências. Entre os inúmeros labirintos existentes na Pedra do Castelo uma passagem dá acesso ao topo do Castelo, de onde é possível apreciar a paisagem que circunda a pedra encantada.

A cidade de Castelo do Piauí fica a 10 km da Pedra do Xastelo, que por sua vez dista apenas 2 km da rodovia PI-115. Nesta estrada, uma placa indica a entrada aos visitantes, porém é mais seguro informar-se em Juazeiro, a 7 km adiante, mas a 166 km de Teresina, capital estadual. e 81 km da cidade Campo Maior..
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Você no Blog Nordestinos Paulistanos
jornalista cidadão.
Envie textos
fotos,
vídeos
Cultura,história da cidade,causos,linguajar,poesia,cordéis e muito mais.

TV Nordestinos Paulistanos

Mais Acessadas