31 de agosto de 2013

Porta de Entrada 

Matriz imaculada conceição

Canteiro central

Por do sol

Imagem da cidade

Ipê roxo centro da cidade

Praça da Estação

Trem que liga Crato a Juazeiro

Praça do Cristo Redentor

Rua do comércio

Rua do comercio 

Rua de comercio 

Rua de comercio

Praça Siqueira Campos

Rua de comercio


Antiga estação de trem
Crato

Praça da Sé

Catedral
Crato

Chapada do Araripe 
Vista da cidade a partir do Araripe foto 

Catedral foto Aristides Tavares

Estação 

Crato

Rua do centro


Por carlos alberto

Praça

centro

rua da vala

Estação ferroviária

Estádio o Mirandâo

Parque de diversão da expocrato

URCAUnivercidade Regional do Cariri

Rua da Feira do Crato

Praça Tristão Gonsalves

Antigo Calçadão


Praça Cristo Reis

Interior da Igreja São Francisco

Restaurante Popular

Bombeiro

Restaurante Popular

REFESA

arco do canal

Praça da Sé

Expocrato

Feira do Crato

VISTA AÉREA DA PRAÇA DA SÉ

HISTÓRIA DA CIDADE
Suas origens remontam a tempos imemoráveis, quando se estabeleceram na região os Índios Kiriris, missionados pelo padre Luiz Vincenzio Mamiani, a partir do segundo quartel do Século XVIII. Os primeiros colonizadores brancos constam como tendo sido formados por agentes da Casa da Torre (Bahia), seguidos de pernambucanos e sergipanos, ocupando terras localizadas no Riacho dos Porcos (Brejo dos Santos), no extremo sul da Capitania. Essa descida terá ocorrido por volta das décadas finais do Século XVII, época em que se registra a presença do braço aventureiro naqueles rincões e até então ocupados somente pela raça nativa. Na primeira década do Século XVIII ou, precisamente, nos anos de 1702/1704, tem-se como primeiro cessionário de terras no Cariri o sesmeiro rio-grandense (Norte), Manuel Rodrigues Ayrosa. Sua posse situava-se na gleba São José, no vale denominado de Lagoa do Ayrosa, entre as cidades que posteriormente se denominariam de Crato e Juazeiro (Sítio São José). Em períodos seguintes, porém quase simultaneamente, chegam à região outros desbravadores dos quais se destacam o Coronel Antônio Mendes Lobato e Gil de Miranda, que muito viriam contribuir em prol dos avanços da colonização. A partir de 1714, quando os investidores pernambucanos e baianos iniciam suas descidas, formando contingentes mais numerosos, o imenso Vale do Cariri passa por sucessivas divisões, em povoamento rápido e altamente produtivo.

A povoação do Crato, reduto inicialmente conhecido pelos nomes de Missão do Miranda, Aldeia do Brejo Grande e Missão dos Cariris Novos, elevou-se à categoria de Vila segundo Carta de 16 de dezembro de 1762, tendo sido instalada a 21 de junho de 1764, com a denominação de Vila Real do Crato. Sua elevação à categoria de Cidade ocorreu segundo Lei Provincial nº 628, de 17 de outubro de 1853.

A primeira manifestação de apoio eclesial tem como fundamento as terras patrimoniais doadas pelo Capitão-Mor Domingos Álvares de Matos e sua mulher D. Maria Ferreira da Silva, conforme escritura lavrada no Cartório do Tabelião Roque Correa Marreiro, em data de 3 de dezembro de 1743. Essa doação localizava-se, inicialmente, em terras encravadas a dois quilômetros a Sudeste da povoação, transferindo-se, em data posterior, para a margem direita do rio Granjeiro.

Os trabalhos da primitiva Igreja, dedicada ao orago de Nossa Senhora da Penha de França, tiveram início em 1745, havendo como responsável Frei Carlos Maria de Ferrara e seu companheiro Frei Fidélis de Sigmaringa. A edificação desse primitivo templo revela, igualmente, o atraso de sua contemporaneidade, considerando sua estrutura, posto como as paredes eram de taipa, piso de barro batido e coberta de palhas, tendo ainda os caibros e ripas trançados de cipós. A permanência desses religiosos, no que se chamou de Missão do Miranda, estendeu-se por espaço de 10 anos.A Freguesia, ainda na vigência da antiga capela, criou-se por Provisão de março do ano de 1762 e inaugurou-se a 4 de janeiro de 1768, tendo como seu primeiro vigário o padre Manuel Teixeira de Moraes.

Com o desgaste do tempo, esse primitivo nicho entrou em deterioração, situação que levou o padre Antônio Lopes de Macedo Júnior, presbítero da Ordem de São Pedro, vigário da Vara e pároco da Freguesia de Nossa Senhora da Penha, a endereçar requerimento à Junta do Real Erário, solicitando fundos necessários à construção da Capela-Mor ou Igreja-Matriz.

Atendido no seu petitório, iniciaram-se os trabalhos cuja conclusão data de 1817, constando os atos inaugurais de 3 de maio do mesmo ano. Em seus implementos de evolução, têm-se na área de influência da Igreja, a criação da Diocese, conforme Bula Papal de 20 de outubro de 1914, sendo seu primeiro Bispo D. Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, empossado a 25 de dezembro de 1915, além do Ginásio Diocesano, fundado a 1º de abril de 1916. Houve, como seu primeiro Diretor, o padre José Alves de Lima, nascendo desse meritório estabelecimento a Universidade Regional do Cariri – URCA.

Gentílico 
Cratense Significado do Nome

A designação de Crato foi uma homenagem ao antigo Vilarejo de Alentejo.
Aniversário da Cidade

21 de Junho.

CARACTERÍSTICAS

Clima 

Tropical
Temperatura Média

26º C 

COMO CHEGAR 

Localização

Sul Cearense

Limites

Norte – Farias Brito, Várzea Alegre e Caririaçu; Sul – Estado de Pernambuco; Leste – Juazeiro do Norte e Barbalha; Oeste – Nova Olinda e Santana do Cariri.

Acesso Rodoviário

BR-222, BR-116, CE-060, CE-359. 

Distâncias396 km da Capital

TURISMO

Principais Pontos Turísticos 

Igreja da Sé - Matriz de Nossa Senhora da Penha

Palácio Episcopal

Sede da Diocesse do Crato, local onde nasceu Pe. Cícero

Casa do Júri. 

Teatro Raquel de Queiróz.

Gruta de Lourdes (datada de 1938).

Cristo Redentor. 

Estação Ferroviária (datada de 1926)

Seminário Diocesano São José

Cruz do Século (torco monumento de madeira)

Chapada do Araripe

Floresta Nacional do Araripe

Nascente Cascata

Toca do Pajé

EVENTOS

Fevereiro

- Carnaval

Julho 

21 - Semana do Município. 

- Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados. 

Setembro

01 - Festa da Padroeira Nossa Senhora da Penha.
Informações Úteis 

Prefeitura Municipal de Crato.


Fone: (88) 3523-2055 - Fax: (88) 3523-3795 

Reações:

3 comentários:

  1. Extranhei não haver nenhuma foto do Centenário Seminário Diocesano do Crato, onde estudei!!!

    ResponderExcluir
  2. Extranhei não haver nenhuma foto do Centenário Seminário Diocesano do Crato, onde estudei!!!

    ResponderExcluir
  3. Unknown,tudo bem?
    É muito gratificante a sua participação em nosso blog,estas fotos são pessoas como você que envia para nós,se você tiver fotos que deseja ser publicada nesse artigo, nos envia será um prazer postar...
    Aguardamos suas fotos !
    e-mail:nordestinospaulistanos@gmail.com

    ResponderExcluir

Você no Blog Nordestinos Paulistanos
jornalista cidadão.
Envie textos
fotos,
vídeos
Cultura,história da cidade,causos,linguajar,poesia,cordéis e muito mais.

TV Nordestinos Paulistanos

Mais Acessadas