6 de agosto de 2013

Créditos: Divulgação/Ccom
Além de cerâmica, joias, objetos de decoração e roupas confeccionadas no Piauí também fazem sucesso

A autônoma Maria de Lourdes Fonseca é uma das cerca de 50 mil pessoas esperadas na 9ª edição da Mostra Piauí Sampa, realizada de 5 a 11 de agosto no Eldorado Shopping, em São Paulo (SP). Encantada com peças de cerâmica produzidas na Serra da Capivara, Maria levou uma sacola cheia de produtos para casa. “São lindas e de ótima qualidade”, comentou. Além de cerâmica, joias, objetos de decoração fabricados em materiais diversos, e roupas confeccionadas no Piauí também estão fazendo sucesso.

A bordadeira Germina Leal participou de todas as edições da Piauí Sampa e garante que a qualidade e a profissionalização do artesanato piauiense enchem os olhos não só dos paulistas, mas de visitantes de todo o país. “Bordo desde sempre, aprendi com a minha mãe, mas precisava me qualificar. E isso veio com a participação em missões técnicas, feiras, mostras, cursos no Sebrae”, comenta, ressaltando que pontos como bainha aberta, cruz, haste e matiz são muito buscados durante a feira. Ao todo, a associação da qual a bordadeira faz parte, que reúne artesãs de Campo Maior, Pedro II e Buriti dos Lopes, levou 325 peças para São Paulo.

Edna Maria, da cooperativa Maria dos Agaves, que trabalha com trançado em Agaves no litoral, também viu seu trabalho evoluir e ganhar valor através da qualificação. “Fizemos cursos de design oferecidos pelo Sebrae e aprendemos muito, até mesmo a colocar preço nas nossas mercadorias. Não sabíamos colocar preço em cima da nossa mão de obra, do tempo gasto. A maior dificuldade nunca foi fazer as peças, mas a sua comercialização”, explica.

Outra veterana da feira é a empresária do setor têxtil Gorete Chaves, da Kempf, que está há 25 anos no setor e comercializa peças em estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo. “Nossa marca é amadurecida. Trabalhamos com boas matérias-primas, design, pesquisa de tendências. Na Piauí Sampa tratamos com lojistas, fazemos contatos com representantes comerciais”, explica.

A Piauí Sampa traz muitas mostras de superação de pequenos e micro empresários piauienses. Este ano, empreendedores que atuam na área de cajucultura tiveram de reinventar seus negócios em função da baixa colheita de caju no ano passado por conta da estiagem. Levaram para São Paulo produtos que são expostos pela primeira vez na Piauí Sampa, como os à base de buriti, pequi, bacuri. “A safra foi muito fraca. Tivemos de investir em outras matérias-primas e estamos com uma boa receptividade do público”, relata Lenilson Lima, da Cooperativa dos Produtores de Cajuina do Piauí, que comercializa para estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina durante todo o ano em virtude de negociações realizadas durante a Piauí Sampa.

Em 2012, a feira movimentou, de acordo com o Sebrae, R$ 12 milhões em produtos comercializados – um aumento de 10% em relação ao ano anterior. Ao todo, 41 expositores participaram do evento, que segue até 11 de agosto, no Eldorado Shopping. A feira é realizada pelo Sebrae e pelo Governo do Estado, com apoio da Prefeitura Municipal de Teresina, Fiepi, Faepi e Senar.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Você no Blog Nordestinos Paulistanos
jornalista cidadão.
Envie textos
fotos,
vídeos
Cultura,história da cidade,causos,linguajar,poesia,cordéis e muito mais.

TV Nordestinos Paulistanos

Mais Acessadas